Brinque o carnaval com cidadania e respeito!

O carnaval está batendo à porta. A diversão, a folia e a paquera são características do feriado mais aguardado do país. O problema é que, em meio à batucada, muita gente passa dos limites e deixa de lado o respeito e a educação - que não podem faltar nunca. Por isso, elaboramos algumas dicas para um carnaval cheio de fantasia e alegria. Reúna seus amigos e botem o bloco na rua, com respeito e alegria!


Recicle!
Os dias de Momo são de muita diversão e fantasias. Em vez de comprar novas, reaproveite as do ano passado ou invente outras a partir de materiais já disponíveis. Com criatividade, garrafas PET podem se transformar em máscaras, como mostra este exemplo. Materiais disponíveis em qualquer lugar, papelão e jornal viram fantasias, além de tambores. Use a criatividade, divirta-se e colabore na preservação do planeta!

Carnaval Verde: respeite a cidade e o meio ambiente!
Independente de onde você passe o carnaval, é preciso preservar o espaço público, seja ele na cidade ou na praia. Só no Rio de Janeiro, que abriga uma das maiores festas do país, a companhia local de limpeza recolhe, por ano, mais de mil toneladas de dejetos das ruas. E, acredite, muito ainda fica espalhado por aí. Portanto, recolha o lixo que produzir e jogue-o em local apropriado. E lembre-se: lugar de xixi é no banheiro, e não na rua. Se quiser encontrar um, há aplicativos, como o Piriri App (para Android e iOS), para te ajudar. 


Não é Não!

No carnaval, vale flertar, mas nunca com violência, seja ela física ou verbal. É crime! Se quiser beijar, folião, puxe conversa, jogue seu charme e espere reciprocidade. Será muito melhor! E lembre-se sempre: não é não! Em caso de situações de violação que estão acontecendo ou que acabaram de ocorrer no disque 100

Respeito às crianças!
A época é de festa, mas também de exploração, infelizmente. Muitas crianças são obrigadas a trabalhar e, pior, exploradas sexualmente para levar dinheiro para casa. Faça sua parte e denuncie esses crimes. Você pode usar o aplicativo “Proteja Brasil” desenvolvido pela Unicef, ou o site humaniza, por exemplo, para comunicar uma entidade responsável que esteja próxima, além das autoridades. Tudo é feito de forma anônima e segura.